quarta-feira, 30 de maio de 2012

Decorar / Recuperar Calçado

Quem tem filhos sabe como o calçado facilmente se estraga e/ou deixa de servir.

A minha filha tem umas sandálias do Verão passado que ainda lhe servem (é para admirar), mas tinham os adornos a cair. Tive pena de deitá-las fora e imaginei uma solução para elas.


Usei uma fita de cetim (a mesma dos ganchinhos de cabelo) e fiz um folhinho.



Com cola quente, apliquei a fita franzida na zona a cobrir e, rápida e facilmente, a minha filha ganhou umas sandálias novas que adorou.



Mas não fiquei por aqui. Alguns dos adornos foram aproveitados para fazer mais um ganchinho de cabelo. Também uma fitinha que envolvia um saquinho de bombons foi transformada num alfinete para mim.




No poupar é que está o ganho.

A fita franzida em cetim também pode ser utilizada para um makeover numas chinelas tipo havaianas, ou numas sabrinas simples.


terça-feira, 22 de maio de 2012

Decorar com Têxteis - Colchas de Renda

Quando chega o tempo quente, troco os têxteis do quarto por tons mais claros e frescos.

Na minha cama, gosto de misturar o vintage oferecido pelas colchas de renda com almofadas e restante decoração mais contemporânea.


Esta é mais uma colcha de renda que possuo e que será da minha filha quando tiver a sua própria casa. Foi feita pela avó há mais 50 anos.

Pesa muito quilos e tem fartas franjas, e é bastante diferente desta outra que mostrei aqui certa vez (e que também conta com várias décadas).


Antigamente, não era muito fã deste tipo de artigos, mas agora aprecio muito e acho que são peças lindíssimas e com grande valor artesanal, ideais para passarem de mãe para filha.





Quais são as preciosidades que guarda no seu baú?


sexta-feira, 18 de maio de 2012

Jardim Vertical de Plantas Suculentas :: Framed Vertical Succulent Garden



Como é que podemos ficar inspiradas por pequenas coisas que aparentemente não levam a nenhuma ideia?

O meu marido andava a limpar um orifício de respiração exterior da casa, e chamou-me para me dizer alguma coisa: Olha só o que é que eu tirei de lá de dentro!

Era uma espécie de turfa, que os passarinhos andavam a trazer para fazer lá ninho de vez em quando*. Olhei para aquilo e acendeu-se logo uma luzinha! Disse ao meu marido que ele podia não acreditar, mas eu tinha visto um projecto no dia anterior, e aquele material seria o ideal para o concretizar: um jardim vertical para suculentas.

Fui procurar uma moldura sem uso que desse para o que eu queria fazer. Apenas o aro foi usado.
As ripas e o painel de aglomerado são restos de outros projectos. A rede fui comprar ao Maxmat por 0.99€ (1 metro). As tintas e primários usados também já tínhamos na garagem.


É possível fazer uma estrutura grande e bastante decorativa, mas para os iniciados, o ideal será começar por uma moldura mais pequena e com menos plantas.

As ripas serviram para fazer um aro da medida da moldura. É isto que vai permitir dar profundidade para colocar a turfa para as plantas. Quando ficar pronto, vai ser como uma espécie de caixa.
Aplicámos duas camadas de rede (para maior resistência e aberturas menores), e fixámo-las com agrafos.


O maior desafio deste projecto, é evitar que a humidade danifique o suporte. Para isso, usámos uma espécie de tinta aborrachada que comprámos certa vez para impermeabilizar o terraço.
Foi aplicada á trincha, apenas nas zonas interiores da caixa e num dos lados do painel traseiro.



A moldura teve de ser muito bem lixada para retirar toda a tinta preta.
Como acabamento, eu idealizava um aspecto mais rústico, então utilizei o primário e a tinta decorativa da gama les Décoratives.




Depois de tudo devidamente protegido, é altura de montar toda a estrutura excepto o painel traseiro.

A primeira camada a colocar é a da turfa. Em seguida colocámos composto para orquídeas, mas só porque tinha cá em casa; pode-se saltar este passo e cobrir o restante com a terra escolhida.

A terra deve ficar bem comprimida para oferecer melhor suporte ás plantas.

Depois, fixa-se o painel traseiro, coloca-se um ganchinho para pendurar e vira-se ao contrário.



Temos vários tipos de plantas suculentas cá em casa. 
Cortei as que achei necessárias para o projecto e adquiri somente uma espécie nova, para dar um aspecto mais variado.




 Cortei o pé de cada planta na medida certa e rejeitei as folhas a mais.



Com a ajuda de um pauzinho fino, abri caminho para introduzir cada pé. É uma operação que requer cuidado e gentileza, porque são plantas algo frágeis ao toque.


No final, borrifei o composto com água, mas só o suficiente para humedecer.



As plantas vão levar algumas semanas a fixarem raizes. Deve manter-se a estrutura na horizontal até que as plantas estejam bem firmes no seu novo lar.




Esta peça de decoração viva vai alterar-se com o tempo. As plantas irão crescer, cada uma ao seu ritmo, e irão ocupar os pequenos espaço não preenchidos. É preferível não sobrelotar tudo de início.

Confesso que foi uma das coisas que mais prazer me deu a realizar, e fiquei imensamente satisfeita com o resultado final.

Se for deixada ao sol, como eu pretendo fazer, as plantas ganham mais colorido. Só não pode ficar exposta á chuva, para se controlar o nível de humidade, que deverá ser sempre baixo. Estas plantas resistem bem a solo seco, mas se pelo contrário, o solo estiver demasiado saturado de água, facilmente apodrecerão.

Ficou inspirado para este projecto de Verão?



*Nota: Nenhum passarinho foi privado do seu ninho durante o processo de limpeza. 


segunda-feira, 14 de maio de 2012

Obrigada por estar desse lado


Ao longo do tempo em que tenho este blog, descobri pessoas fantásticas, criativas e generosas.

Quando preciso de uma ideia para determinado projecto, inevitavelmente, a minha pesquisa leva-me a outros blogs, que generosamente me mostram e inspiram a uma solução.

Também já aqui pedi ajuda criativa para reciclar a mesa de pé de galo achada na rua. Além de soluções jocosas "joga ela no lixo de novo, vai ficar linda", (Uau, tanto tempo livre para escrever comentários destes, e nenhum tempo para sugerir algo criativo. Ou então é assim que usam a criatividade.), recebi ainda sugestões de pessoas que se deram ao trabalho de me deixar a sua opinião na caixa de comentários, e até me enviaram links e fotografias para o meu email, com ideias e técnicas que eu desconhecia.

A todos vós, muito obrigada. E agradeço também aos que me visitam e acompanham diariamente, mesmo que o façam de forma silenciosa. É bom saber que nos apreciam, e/ou gostam do que generosamente partilhamos. Obrigada por estar desse lado.

As ideias sugeridas para a mesa, levaram-me a criar uma outra peça diferente. Além de arranjar a solução para a mesa, inspirei-me para um elemento decorativo para a nossa casa. Estou muito entusiasmada!
Gostaria de ter mais tempo neste momento para me dedicar a estes projectos que tenho pendentes.
Entre o meu trabalho em part-time, as encomendas que vou recebendo, os miúdos e a casa, sobra-me pouco tempo para concretizar a ideia, fotografá-la e compor o post final. 

Esta semana mostrarei o que temos andado a fazer (eu e o meu parceiro de obra). É uma ideia muito interessante para decorar a casa com plantas (e mais não digo!).

Por fim, quero agradecer especialmente a outra menina, que com as suas mãos de fada, preparou uma oferta muito bonita para a princesa cá de casa: uma linda tiara, hem, fita de cabelo, e um coração bordado tão cheiroso...
Tens de me contar o segredo de tal aroma, ok Dª Pinta?

Obrigada, foi muito generoso da tua parte.





segunda-feira, 7 de maio de 2012

Tarte de Amêndoa


Foi a primeira vez que fiz esta tarte.
Quando fazia as festinhas de aniversário dos miúdos, comprava sempre uma tarte de amêndoa para ter na mesa. Custavam cerca de 6€, e eu achava que eram complicadas de se fazer. Como estava enganada!
Nunca mais gasto este dinheiro em tartes de supermercado, vou passar a fazê-las eu mesma.

Vi a receita primeiro no blog da Luarte, e depois no blog da Luísa Alexandra, e foi aí que decidi que tinha mesmo de fazer esta receita. Usei 2 ovos, como fez a Luarte, mas juntei margarina á massa da base, como fez a Luísa. O resultado?



Usei uma forma de bolos com fundo amovível. É necessário usar uma espátula para soltar delicadamente a tarte em toda a volta, para o caramelizado não se partir. Com 200gr de farinha, a massa fica assim mais fofa e altinha. Poderia ter dourado mais um pouquinho, mas sendo a primeira vez, tive receio que a base ficasse seca. Para mim ficou perfeita, e a família também achou o mesmo.




quarta-feira, 2 de maio de 2012

Sugestões para a Mesa achada no Lixo

Peço a ajuda dos leitores deste blog para me ajudar a transformar uma mesinha que encontrei na rua há algum tempo.

Tenho pesquisado bastante, e juntei algumas ideias, mas pode ser que da sua parte surja alguma ideia brilhante (e económica!) para reciclar este patinho feio.

A mesa em questão é esta:


Foi encontrada á chuva, e o tampo que era feito em aglomerado de madeira ficou totalmente desfeito.
Arranquei-o todo e deixei o que se vê na imagem. O corpo da mesa é todo em madeira maciça e não tem vestígios de caruncho (como se suspeitou na altura).
Tem um bonito pé de galo, que é a única parte que á partida pretendo manter.

Agora, o que eu já pensei foi:

*Retirar o resto do tampo hexagonal e colocar um simples tampo redondo de madeira (solução um bocadinho sem graça).

*Estofar o tampo com um tecido bonito e obter uma espécie de otomano, ou repousa pés. (Mas acho que o tipo de pé não ajuda muito)

*Fazer um tampo com um espelho redondo do Ikea (custa pelo menos 15€). Talvez fique mais barato do que encomendar um á medida no vidraceiro. Um espelho hexagonal talvez fique um pouco fora do meu orçamento.

Martha Stewart

*Também pensei em fazer um stencil, ou um motivo decorativo no tampo. Foi a minha primeira ideia, mas já não estou muito inclinada para isso.

Tem alguma sugestão ou ideia para a minha triste mesa? Todas as ideias são bem vindas: uma cor, um estilo, um pormenor que faça a diferença. Obrigada!




© Hello You . All rights reserved.
Blogger templates by pipdig