quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Escritório :: Antes e Depois


A divisão onde agora é o escritório, era uma espécie de cozinha onde eu tratava da roupa e que também servia de despensa. Depois construímos o anexo no lado exterior e fizemos uma lavandaria mais organizada e totalmente pensada de raiz.


Durante as obras efectuadas, demos conta que alguns problemas eram ainda mais severos do que antecipávamos. As imagens falam por si.




O cano da água estava completamente podre e teve de ser substituído numa boa extensão. Também colocámos tomadas de electricidade porque estas casas antigas não têm praticamente nenhumas. Isto implicou escavacar as paredes quase todas...




Para obter a cor das paredes, usei uma mistura de 3 cores: cinza, azul e amarelo numa lata de 15 l de branco. Ia afinando, apontando as quantidades num papel, e experimentando na parede. Demorei 3 dias a obter o tom desejado mas consegui, e com isso poupei cerca de 200€ (em tintas afinadas numa loja especializada).



E ainda faltava o chão... Entretanto passava-se o Natal e o Ano Novo, e nós aproveitávamos todos os bocadinhos para ir adiantando qualquer coisa.


Usámos uma tela específica para zonas mais húmidas (que é o caso do nosso rés do chão) e um soalho AC5, também hidrófugo.



Fizemos tudo praticamente sozinhos. Durante as obras, o meu marido teve a colaboração de um amigo pedreiro, de resto fomos nós os dois que tratámos de todos os acabamentos.

Depois desta odisseia, temos o nosso escritório praticamente pronto. Faltam alguns pormenores como os rodapés ou o desenho para o quadro mais pequeno.
Em princípio também pintaremos a secretária de branco.
A servir de apoio à impressora está uma mesinha de cabeceira antiga. Também é muito escura, e pode ser que eu arroje numa cor divertida, mas ainda não sei bem qual (sugestões?).






Este porta-lápis em forma de concha não é comercializado para essa função... É um copo para escova de dentes da Zara Home, mas eu achei-o engraçado e diferente para ter na secretária. (Já não se encontra disponível no site.)


As estantes são da Ikea e são muito práticas e económicas. Têm apenas 29 cm de profundidade e escolhi-as por isso mesmo. O único senão (facilmente contornável), é o facto de os dossiers de lombada larga terem de ficar ligeiramente na diagonal para caberem. De resto, tem imensa arrumação e as estantes superiores permitem guardar livros e objectos decorativos sem apanharem pó (o piso térreo sofre mais com esse problema, daí termos adquirido estas portas que se vendem separadamente da gama Billy).




E agora já conhece o espaço de onde lhe escrevo.
Mais luz, mais conforto, mais organização. Este escritório é assumidamente mais feminino do que o outro lado da sala (sala multimédia), onde ainda faltam algumas coisas. Irei mostrando esses avanços e mais umas reciclagens à medida que forem sendo concretizadas. Ficam os links de alguns dos artigos:



segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

O Cacto Safado Parte II

Este cacto tem má índole, digo-lhe eu.


Queres dizer-me alguma coisa, seu cacto de uma figa?

Devia fazer o que o meu marido sugeriu e despejar este bandalho... mas oh, o safado tem este feitiozinho ignóbil mas eu não consigo deixar de gostar dele.


quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Cadeira de Escritório


A anterior cadeira de escritório com rodízios voltou para o sítio de onde veio: o lado do contentor. Quando a trouxe, forrei-a com um tecido mais bonito e ficou como nova, mas depois das obras o escritório ganhou uma nova disposição e essa cadeira já não se inseria harmoniosamente: achei-a grande demais e tive receio que os rodízios danificassem o soalho novo (também não gosto muito dos protectores que existem à venda para o efeito). As costas da cadeira também estavam um bocado esfoladas de tanto roçar na parede areada.

Nem sequer foi preciso procurar por cadeiras de escritório. Queria uma cadeira de boa qualidade e com umas linhas simples e bonitas, e uma das cadeiras da cozinha enquadrava-se perfeitamente nessa descrição (nós temos 4 cadeiras diferentes na mesa de refeições). Acho-a confortável e visualmente atractiva para o local em questão (mesmo apesar de já ter 30 anos).



Retirei o tecido impermeável (que eu já havia forrado há alguns anos) e todo o forro interior que estava podre, e forrei a cadeira com o mesmo tecido azul geométrico com que costurei as duas almofadas para o sofá. Gosto muito da combinação do padrão com a cor da madeira, nunca irei pintá-la mesmo que pintemos a secretária de branco.




No Inverno sabe bem o conforto extra da pele de ovelha (sintética) que é mesmo à medida!



Do velho se cria novo. Para a semana mostro o escritório completo. Até lá!

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Rosas e Ranunculus :: Bouquet de Flores Artificiais

As flores artificiais podem ter grande potencial decorativo se as soubermos escolher no momento da compra e se forem dispostas de forma harmoniosa (e não jogadas de qualquer maneira num vaso ou jarra).


Estas flores artificiais que comprei não são nada caras e vieram todas de uma loja de chineses. A minha ideia era misturá-las e formar um bouquet para decorar a secretária no escritório, onde devido à fraca luz natural não é possível ter flores frescas ou uma planta. Escolhi tons femininos e primaveris, facilmente conciliáveis.

Eu costumo dividir a flor em secções e depois ir compondo o bouquet enquanto o seguro na minha mão. Quando estou satisfeita, ato com um elástico e/ou envolvo com ráfia para tapar a confusão de «caules».



Prefiro jarras ou contentores opacos para chamar mais a atenção das flores e não do que fica dentro da jarra. Neste caso, a jarra era de vidro e eu coloquei uma folha de papel enrolado lá dentro. Isto vai ajudar a esconder os pés do arranjo e acaba por oferecer um acabamento diferente, estilo milk glass.





Boa semana!


quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Uma Almofada às Riscas Diferente


Ao pensar na decoração para as duas novas divisões da casa (escritório e sala multimédia), reparei que algumas ideias saíam um pouco da minha zona de conforto. Usar preto e branco foi uma estreia para mim.

Comprei o tecido a metro na Ikea. A minha ideia era fazer uma almofada simples, às riscas, tal como mostrei no moodboard que publiquei há umas semanas.
Mas depois apercebi-me do potencial das riscas e dos padrões geométricos interessantes que se podem obter com um tecido destes e algumas noções de costura. Alguns devem ser dificílimos: há quem faça padrão zig zag contínuo! As linhas têm de bater todas certinhas...


Eu não fui tão ambiciosa e mesmo assim demorei uma tarde inteira para conceber esta almofada e aplicar-lhe o fecho.

Primeiro tracei uma diagonal no tecido e cortei, ficando com dois grandes triângulos. Com o tecido restante cortei outra diagonal num ângulo diferente, de onde resultaram outros dois triângulos (cada par compõe um lado da almofada).



Esses pedaços foram alinhados coincidindo bem as linhas de modo a formar vértices o mais perfeitos possível.



O que vai resultar nisto. Em seguida vinca-se bem o avesso com o ferro de engomar e ficamos com um dos lados da almofada.



Faz-se o mesmo para o verso. Ao unir os dois lados é necessário o cuidado de unir todas as linhas (todos os quatro lados da capa ficam coincidentes). Com os 63 cm de tecido trabalhado é fácil realizar os ajustes necessários e obter uma almofada com 50 cm de lado.






A sala está lentamente a compor-se. Gostava de fazer mais uma almofada... será que tenho coragem? (Para melhor entendimento ver o moodboard da sala multimédia.)


© Hello You . All rights reserved.
Blogger templates by pipdig