segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Projecto caseiro - Quinta de Formigas

A pensar nos miúdos (mentira), comprei no ebay esta Ant Farm- Quinta de Formigas. Já estava no armário desde o outono do ano passado, pois como tivemos um Inverno tão rigoroso, com tanta chuva, nunca conseguimos sair um dia para caçar umas formigas.


 Até já me tinha esquecido, mas ao embalar as coisas das férias, encontrei-a e achei que era uma excelente oportunidade para a pôr a trabalhar.


A Quinta de Formigas contém uma gelatina especial que oferece todos os nutrientes e humidade que as formigas necessitam, e o interesse está na observação do comportamento das formigas e nos labirintos de  túneis que elas fabricam com trabalho árduo. Por isso mesmo são precisas formigas (entre 15 e 25) de algum porte e genica, para que a quinta funcione.

1º Passo: Pôr os gajos a caçar as formigas


Depois de muito trabalho a recolhê-las e outro tanto para as colocar na quinta (as gaijinhas ferravam mesmo), aqui estão elas na sua casa nova.



A quinta tem uma base de iluminação de leds, o que torna a experiência ainda mais interessante (e é um objecto decorativo)
Agora é esperar uns dias (podem demorar entre 24 a 48 horas até se começarem a ambientar) para ver no que dá. O resultado deveria ser este:


Mas as bichinhas são muito mais inteligentes do que pensamos. Em vez de se porem em movimento descontrolado e numa azáfama para descobrirem a saída, estavam completamente paradas, como se estivessem a analisar o que tinha acontecido (ou a fingirem-se doentes).

Eu, entusiasmada: Olha que quietas, que espertas.
Marido, desinteressado:  Oh... lembra-te que são formigas alentejanas...

Lá alentejanas são, e se não as tivesse visto a correr e a ferrar os pés do meu marido... Espero que tenham a mesma energia para trabalhar.

5 comentários

  1. Épa essas coisas é que eu não gasto dinheiro!! Pode ser muito interessante, mas não gastava dinheiro nisso. Lol!

    ResponderEliminar
  2. Eu nestas coisas sou um bocado maria-rapaz, adoro esta experiência e o partilhar com os miúdos (o pai já não acha tanta graça)

    Além de que é o nosso pet. Há quem prefira peixes em aquários ou passarinhos em gaiolas. Eu estou a achar imensa graça e elas recriaram mesmo um habitat, fartam-se de trabalhar.

    ResponderEliminar
  3. olá, descobri o teu blog ali pla dama das camelias e tenho estado a ler avidamente desde as 10h da manha ahahahah.

    Gostava de saber como correu este projecto?

    Depois de isto acabar a comidinha, que é que se faz as bichas? eu achava piada a ter isto ehhe

    ResponderEliminar
  4. Olá Jô, que bom que estás a gostar!

    Olha, a quinta das formigas correu muito bem.
    Elas eram grandes e tinham força (indispensável) e começaram nos dias seguintes a escavar os túneis com uma rapidez impressionante. Depois era giro de ver porque elas dormiam em sítios específicos e corriam para esses sítios quando pegávamos na «quinta».
    O alimento nunca se acaba... elas não o conseguem comer todo... o que acontece é que elas começam a morrer, uma de cada vez, porque não têm um ciclo de vida muito longo. As sobreviventes trazem os cadáveres para fora dos túneis e nós devemos apanhá-los.

    As minhas foram morrendo a pouco e pouco e as poucas que restavam deixaram de trabalhar, como se já não valesse a pena.

    Para recomeçar uma nova colónia, os fabricantes dizem que é só colocar a quinta uns instantes no microondas para a gelatina derreter e voltar a formar um bloco compacto, e assim recomeçar com novas formigas!
    Mas eu aconselho a retirar primeiro a gelatina mais escura que fica nalguns cantinhos- o cocó delas hihi.

    Espero ter ajudado
    Beijinhos e obrigada pela visita e pelo interesse ;)

    ResponderEliminar
  5. ó pá q giro... mas fiquei com pena das pobres... ficam sem uma razao de viver, pois nao teem rainha... é pá... nao vou comprar, apesar de isso ser mt didactico para os miudos.

    talvez quando tenha filhos lhes mostre, mas só para mim tenho muita pena

    ResponderEliminar

© Hello You . All rights reserved.
Blogger templates by pipdig